Main menu

Skip to content

Dicas e Notícias

Negativas de tratamento pelos planos de saúde; o que você precisa saber?

Ao contratar um plano de saúde, o consumidor espera o fornecimento de atendimento quando for preciso. Contudo, as cláusulas contratuais limitativas, geralmente escritas em letras microscópicas, impedem que isso aconteça.

Os planos de saúde além de negarem tratamentos sob o argumento de limites impostos pelas carências (como se o paciente pudesse escolher quando e do que irá adoecer), também alegam que o paciente tem uma “doença preexistente”.

Genival Veloso de França, em sua doutrina de Direito Médico, explicita que “nem sempre é fácil, mesmo para um paciente de certo grau de instrução, ter consciência exata de uma doença preexistente que lhe possa ter repercussões sérias no futuro e que seja impeditiva de adquirir um plano de saúde ou uma apólice de seguro de vida”.

Vamos lá, se até mesmo com uma série de exames modernos, muitas vezes as doenças são difíceis de serem diagnosticadas, como esperar que uma pessoa comum, sem o apoio de exames, possa saber da existência de doenças? Dessa forma, só podemos falar em “doença preexistente” quando diagnosticada por um médico e que se manifeste de forma tão clara que não traga maiores dúvidas.

Assim, o consumidor não deve se desesperar quando receber uma negativa de tratamento pelo plano, pois a Justiça estará a postos para analisar cada caso.

Contrate um(a) advogado(a) especializado(a) e garanta seus direitos!

Por Vanielle de Sá

Postado por JS em 13 de julho de 2020